A ciência comprova a multidimensionalidade do ser humano

A_ciencia_comprova_a_multidimensionalidade_do_ser_humano

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print

As descobertas científicas alcançadas pelas pesquisas na área da saúde colaboram para que o ser humano possa ser visto de maneira integral e multidimensional, reconhecendo que seus pensamentos, suas emoções e o ambiente em que vive interferem em seu bem estar. Esta constatação abre espaço para que a medicina convencional utilize em seus tratamentos os sistemas terapêuticos que cuidam do ser humano de maneira multidimensional, auxiliando a evolução de sua consciência ao mesmo tempo em que equilibra seus diversos corpos: físico, energético, emocional e mental.

Pesquisas científicas na área da saúde psicossomáticas relacionam o enfraquecimento dos ossos e os problemas de coluna a situação de intenso estresse, angústia e ansiedade. Os pesquisadores concluem que estas emoções, em alguns casos, dificultam a absorção do cálcio pelo organismo deixando os ossos mais frágeis, ou favorecem a calcificações de cartilagens que deixam as articulações imobilizadas. E estes quadros acontecem mesmo que o indivíduo esteja ingerindo as quantidades adequadas de cálcio e se exercitando.

No sistema muscular podemos verificar a ação imediata de fatores físicos e emocionais em seu funcionamento. A falta ou excesso de exercícios causam, entre outros problemas, distensões e rupturas musculares. Pesquisas recentes constatam que o número crescente de pessoas diagnosticadas com fibromialgia têm sentimentos intensos de mágoas e rigidez. A fibromialgia é uma doença que provoca dores em todo o corpo resultante de tensão muscular crônica. Muitos dos pacientes são tratados com antidepressivos que favorecem um descontração e atitude otimista diante da vida.

A influência das emoções e sentimentos sobre a saúde vem sendo reconhecida através das pesquisas desenvolvidas pela medicina psicossomática. Pelo caminho inverso a medicina convencional também reconhece a influência dos hormônios sobre o humor dos pacientes. Pesquisas demonstram que as mulheres ficam muito mais sensíveis emocionalmente quando estão próximas ou durante seus períodos menstruais, isto é,quando os hormônios específicos relacionados ao processo de menstruação são liberados no organismo feminino. Da mesma forma a medicina já verificou que as mulheres grávidas experimentam um alto nível de vulnerabilidade emocional durante a gravidez, chegando a mudanças profundas de comportamentos, desejos e gostos.

 

Escrito por Silvana Medeiros