Corpo Mental

Corpo_mental

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print

É através do nosso corpo mental que podemos armazenar e compreender os conceitos que direcionam nossa vida. Muitos livros de auto-ajuda realçam a influência deste corpo sobre a nossa saúde, propagando a importância de um pensamento positivo. Um dos primeiros livros que me ajudou a compreender esta estrutura foi “O poder do subconsciente” de Joseph Muph.

O primeiro dos corpos sutis que se estendem por uma faixa de freqüência que fica além do corpo astral é conhecido como corpo mental. Este corpo, tal como o astral, é constituído de matéria com freqüência mais elevada que a da matéria física. Ele ocupa a próxima oitava da freqüência da escala energética, à direita do corpo astral. Assim como o corpo astral às vezes se constitui o veículo da expressão do lado emocional do ser humano, o corpo mental é o veículo através do qual a personalidade se manifesta e expressa o intelecto concreto. Assim como o corpo astral, o corpo mental também possui chakras que, em última análise, estão ligados ao corpo físico. Tal como suas partes correspondentes nas esferas vibracionais inferiores, os chakras do veículo mental estão concentrados nos principais centros endócrinos e nervosos, circundando e envolvendo os chakras astrais e etéricos. Para que a energia da esfera mental influencie o corpo físico é preciso que ocorra antes uma espécie de efeito cascata. As energias mentais exercerão seus efeitos sobre a matéria do corpo astral, que é particularmente responsiva a este tipo de estimulação. Depois, através de modificações no veículo astral, as alterações energéticas são transmitidas ao veículo etérico e, finalmente ao veículo físico, por intermédio das conexões etéricas discutidas anteriormente neste capítulo (GERBER, 1997, p. 124).

Governamos nossa vida conforme as crenças que adquirimos durante nossas vidas, isto quer dizer que nascemos com crenças que carregamos de existências anteriormente. Por isso temos nossas tendências, gostos e peculiaridades desde muito pequenos. Estas crenças são nomeadas na literatura esotérica de “Formas Pensamentos” ou “Corpos de Pensamentos”, são energias que se localizam em nosso corpo mental e que influenciam a forma como vivemos, nossas escolhas, percepções e decisões.

O corpo mental também é estruturado. Contém a estrutura das nossas idéias. Quase todo amarelo, dentro dele podem ver-se formas de pensamento, que parecem bolhas de brilho e formas variáveis. Tais formas de pensamento têm cores adicionais, superpostas e que, na realidade, emanam do nível emocional. A cor representa a emoção, ligada a forma de pensamento. Quanto mais clara e mais bem formada for a idéia, tanto mais clara e mais bem formada será a forma de pensamento associada a essa idéia. Damos realce às formas de pensamento concentrando-as nos pensamentos que elas representam. Pensamentos habituais tornam-se forças “bem-formadas” muito poderosas, que depois exercem influência sobre nossa vida. (BRENNAN, 2004, p. 79).

Estas “Formas Pensamentos” influenciam profundamente a maneira como respondemos as situações que ocorrem em nosso cotidiano e na maioria das vezes não temos consciência sobre elas. Nas psicoterapias podemos ter a oportunidade de descobrir quais as “formas pensamentos” que orientam as nossas decisões e avaliar se são ainda adequadas ao nosso atual estágio evolutivo. Isto porque, adquirimos “formas pensamentos” que nos ajudam a lidar com os desafios pertinentes aos diversos estágios de nossa evolução, desde o período da História primitiva até os tempos modernos, mas muitos de nós ainda arrastamos “formas pensamentos” adequadas às necessidades de sobrevivência da pré-história para os dias de hoje, sem avaliar se estão contribuindo ou não para o nosso crescimento humano.

Se estivermos doentes ou com algum tipo de insatisfação física, emocional ou mental e desejarmos transformar nossa vida, é essencial descobrir as “formas pensamentos” que predominam em nosso corpo mental e transformá-las. Lembro-me que sempre comento com os meus terapeutas que tomar consciência do que preciso mudar é o primeiro passo, contudo muito trabalho precisa ser feito até que a transformação possa se materializar no corpo físico em forma de atitudes e comportamentos.

 

Escrito por Silvana Medeiros