Doenças hereditarias: uma herança psicológica e espiritual

Doencas_hereditarias_uma_heranca_psicologica_e_espiritual

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook 0
Share on google
Google+ 0
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print

Hoje levei minha mãe a médica e ela nos falava sobre hereditariedade, que as doenças que nossos ancestrais muito comumente se manifestam em nossa trajetória de vida. Inclusive ela constatou que minha mãe estava com glaucoma avançado, doença que o pai dela teve, além de outros membros da família.

Entendo que para haver a manifestação de uma enfermidade no corpo ela antes passou por dimensões mais sutis de nossa personalidade. Em minha auto-observação e trabalho com pessoas que acompanho verifiquei que a doença resulta de uma interpretação equivocada sobre a vida, da repetição de padrões de pensamentos doentes.

A grande maioria de nós não consegue escolher ou disciplinar os próprios pensamentos. A mente está cheia de pensamentos conflituosos que, em grande parte dos casos, teve início na infância, quando aprendemos dos pais maneiras de resolver os problemas e levar a vida. Quase sempre não percebemos que vivemos de acordo com os valores, costumes e convicções familiares. Assim nossa interpretação sobre a vida segue a mesma lógica que a dos nossos ancestrais, vivemos e cometemos os mesmos erros que nossos bisavós, avós e pais. Portanto, também adoeceremos da mesma maneira que eles.

O caminho para não ter as mesmas doenças que nossos ancestrais é questionar a maneira como eles viveram e como estamos vivendo. Precisamos estudar os significados psicológicos e espirituais das doenças que eles tiveram, verificar os padrões de pensamentos causadores dos males, avaliar se os repetimos e transformá-los.

Venho no caminho do auto-conhecimento desde 1996, quando tive uma crise de depressão. Em minha família já foram muitos os casos de depressão, avós e algumas tias. Com certeza aprendi muito da vida com estas pessoas que amo, inclusive seus equívocos. Tenho investido muito em terapias, meditação e estudo para entender a raiz desta doença e superá-la. Neste caminho identifiquei algumas das interpretações sobre a vida que estavam na base deste mal.

Desde a primeira crise de depressão venho identificando os significados psicológicos e espirituais desta doença, transformando minha maneira de interpretar as situações e acontecimentos do meu cotidiano. Hoje me sinto feliz e capaz de lidar com os padrões familiares.