Enxaqueca: significado psicológico/espiritual

Enxaqueca_desenho

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print

Conhecer a história deste site irá ajudá-lo(a) a compreender o que me motivou criá-lo e alimentá-lo. Entendi, dentre outras coisas, que o processo de cura acontece na comunhão entre pessoas que estejam na mesma caminhada, através da ajuda mútua e do compartilhamento de conhecimentos que acendem luzes nos momentos de escuridão.

Através da análisepsicoterapia, outras terapias e muito estudo pude perceber que a grande maioria de nossas doenças tem origem em nossa incapacidade de lidar com as emoções e os sentimentos. Conheço pouquíssimas pessoas que sabem identificar e expressar suas emoções de maneira saudável, a grande maioria vive submerso em avalanches de emoções desgovernadas e devastadoras. Identifiquei este quadro de desequilíbrio emocional quando tive a primeira crise de depressão em 1995, experiência que relato em meus livros Saúde e Espiritualidade e Saúde Emocional.

Através da dor decidi buscar respostas que me ajudassem a recuperar a saúde perdida e desfrutar de uma vida feliz. Encontrei o autor Rudiger Dahlke, que estuda os significados ocultos das doenças desde a década de 70. Quando li pela primeira vez seu livro A “Doença como Caminho” obtive informações que ajudou minhas investigações sobre o significado oculto da depressão e assim maneiras para superá-la. Com o objetivo de ajudar aqueles que sofrem apresentarei a seguir minha interpretação sobre as observações que Rudiger faz sobre a enxaqueca.

A compreensão simbólica SOBRE A ENXAQUECA pode ajudar a curá-la, à medida que buscamos trazer para a consciência conflitos que guardamos escondidos de nós mesmos em nosso inconsciente. Alguns desejos sexuais permanecem em nível inconsciente porque censuramos o seu conteúdo, devido à pré-conceitos morais, intelectuais, religiosos etc. Muitos destes conteúdos não virão a tona simplesmente porque desejamos, irá requerer de nós o uso de técnicas terapêuticas que A compreensão de Rudiger Dahlke (2010) em seu livro “A Doença como Símbolo” sobre a enxaqueca é que este problema resulta de um conflito de ordem sexual. Para ele bloqueamos nossos impulsos (desejos) sexuais mais profundos provocando um acúmulo de tensão que acaba sendo descarregada na cabeça (em forma de dor). Para solucionar este mal, Rudiger (2012) surere:

Reconciliar-se na cabeça com o sexual e então devolvê-lo a seu lugar; conhecer e aprender a amar suas próprias profundezas; conquistar o submundo sexual; juntar as funções do impulso e pensamentos; ligar pensamento e ação; empreender corajosamente o primeiro passo nos novos domínios; chegar a decisões (tirar a espada da bainha), ou seja, impô-las; conduzir o que subiu à cabeça de volta a seu lugar, aprender a dizer “não” com siceridade em vez de usar a enxaqueca como desculpa (p. 174).

Para perceber e compreender a relação entre enxaqueca e sexualidade na sua vida é preciso observar com mais atenção seus pensamentos e comportamentos nesta área. Procurar um terapeuta para investigar esta possibilidade também irá lhe trazer resultados significativos.

Escrito por Silvana Medeiros