Como agradar a Deus na visão do Baghavad Gita

Como_agradar_a_Deus_na_visao_do_Baghavad_Gita

Compartilhe:

Facebook 0
Google+ 0
Twitter
WhatsApp
Email
Print

Em muitos momentos da vida me sinto confusa, principalmente no tocante a decisões envolvendo a famíliarelações afetivas ouamorosas. Pois é difícil combater os comportamentos destrutivos das pessoas que amamos, contrariando suas expectativas e desejos. Mas, já reconheço esta necessidade em minha jornada espiritual, pois para ter liberdade de fazer minhas escolhas precisei enfrentar pessoas amadas em muitos momentos da vida.

Nestes momentos recorro a meditação, ao estudo e/ou a ajuda de um terapeuta em busca de descobrir o que Deus espera de mim. Qual o caminho justo a seguir? Mesmo que este me afaste das pessoas que mais amo.

Baghavad Gita, texto religioso Hindu, descreve o diálogo de Krishna (representando o Divino) com Arjuna (um discípulo guerreiro) no campo de batalha. Arjuna representa nossa alma quando experimenta conflitos diante de enfrentamentos com pessoas queridas. No trecho a seguir Krisna instrui Arjuna diante deste desafio.

Arjuna fala:

7. Com a alma repleta de temor e compaixão, eu te suplico, Senhor, faze-me saber qual o caminho certo. Eu, teu discípulo, me refugio a Tí para saber o que devo fazer e deixar de fazer.

8. De que me serviria um reino próspero, se não me libertar da culpa? De que me serve possuir o mundo, se os que amo não mais existem?

9. ”Não, não quero lutar!”.

Krishna, porém, sorrindo benevolamente, ali mesmo, em face dos dois exércitos, assim falou ao desanimado:

30. Eterno e indestrutível é o Eu, que está sempre presente em cada ser. Por isto, ó Arjuna, não te entristeças com coisa alguma.

31. De mais a mais, visando o teu próprio dever, não vaciles, porquanto, para um príncipe da classe dos guerreiros, nada é superior à uma guerra justa.

32. Felizes deveras são os guerreiros chamados a lutar numa batalha dessa natureza, que lhes vem espontaneamente como uma porta aberta para os céus.

33. Mas, se você se negar a cumprir o seu dever de combater nesta luta, incorrerá em pecado e perderá para sempre sua fama de guerreiro.

34. Todos irão comentar sua infame conduta e para quem se respeita, desonra é pior que a morte.

35. Todos estes generais que lhe têm em alta conta, por seu nome e sua fama, certamente irão pensar que foi somente por medo que você não quis lutar.

36. Todos seus inimigos falarão mal de você, demonstrando menosprêzo pelas suas qualidades. O que poderia ser mais doloroso que isso?

37. Ó bravo filho de Kunti, ou você morre na luta e vai viver outra vida nos mundos celestiais ou, se vencer, você vive para gozar nesta Terra. Por isso, lute com fé.

38. Lute apenas por lutar sem pensar em perda ou ganho, em alegria ou tristeza, em vitória ou em derrota, pois, agindo desse modo, você nunca pecará.