Obesidade: significado psicológico/espiritual

Obesidade-significado-psicologic-espiritual

Compartilhe:

Facebook 0
Google+ 0
Twitter
WhatsApp
Email
Print

Quando o peso corporal excedente começa a afetar a saúde é hora de se preocupar. Esta preocupação não segue uma regra, pois alguns quilos a mais podem causar um prejuízo psicológico em uma pessoa e em outra não. Por isso penso que os problemas relacionados a obesidade devem ser observados de uma maneira mais abrangente, levando em conta seus aspectos físicos, psicológicos e emocionais.

Através da análise, psicoterapia, outras terapias e muito estudo pude perceber que a grande maioria de nossas doenças tem origem em nossa incapacidade de lidar com as emoções e os sentimentos. Conheço pouquíssimas pessoas que sabem identificar e expressar suas emoções de maneira saudável, a grande maioria vive submerso em avalanches de emoções desgovernadas e devastadoras. Identifiquei este quadro de desequilíbrio emocional quando tive a primeira crise de depressão em 1995, experiência que relato em meus livros Saúde e Espiritualidade e Saúde Emocional.

Inspirada no livro a Doença como símbolo e em investigações pessoais sobre o significado oculto das enfermidades apresentarei a seguir minha interpretação sobre as observações que Dahlke faz sobre a obesidade.

Significado psicológico/espiritual: Segundo Dahlke a gordura em excesso é utilizada como um muro de proteção contra a vida, o contato, a sexualidade. A dificuldade que uma pessoa tem em encontrar satisfação (afeto/prazer) nas relações interpessoais ou em atividades que viabilizem o sentimento de autovalorização são substituídos pelo prazer da alimentação. Um história de vida em que a infância foi marcada pela carência de afeto e por cobranças inadequadas podem contribuir para a obesidade desde a infância, ou para que ela surja na idade adulta.

Tratamento: Reconhecer que o peso adquirido ajudou a enfrentar um período difícil da vida, mas, procurar por ajuda e descobrir maneiras de ter afeto e prazer nas relações ao invés de com a comida. Encontrar atividades em que que sinta alegre e satisfeito, aumentando autoestima. Ser firme diante de pessoas que façam críticas depreciativas.

Recursos Terapêuticos: Indico prioritariamente uma psicoterapia ou psicanálise, e outras técnicas auxiliares como medicina ayuvédica, MeditaçãoalimentaçãoReikepsicoterapiaexercícios físicos, yoga. Conheça outros recursos que podem ajudar a sua cura.